Seis ótimos lançamentos da literatura brasileira

Hoje a Bienal 360° entra no olho do furacão dos lançamentos da literatura brasileira e tira de lá seis livros que certamente vão fazer o leitor se animar com a atual leva de títulos de autores nacionais.

Organizada pela cearense Jarid Arraes, a antologia Poetas negras brasileiras reúne mais de 70 autoras, com idades ente 18 e 70 anos, de diferentes regiões brasileiras. Um recorte abrangente da produção poética de mulheres no Brasil.

Na ficção, três nomes importantes lançaram novas narrativas: Bernardo Carvalho, Ana Maria Machado e André Sant’Anna. Selecionamos ainda os novos e imperdíveis livros de não ficção de Fabio Massari e Carola Saavedra. Confira.  

O último gozo do mundo
Bernardo Carvalho

Bernardo Carvalho é um dos melhores escritores de sua geração. Sua carreira está recheada de bons livros, sobretudo romances. Seu mais recente trabalho é O último gozo do mundo, em que os acontecimentos de nossa realidade estão por trás da história de uma professora de sociologia que vê seu casamento desmoronar pouco antes do início de uma pandemia global. Ao contrário de seus livros anteriores, geralmente romances de fôlego, essa novela se resolve de forma mais rápida. Em menos de 150 páginas, Carvalho conta a história da protagonista, vítima de um tempo em que “a leitura do mundo tornou-se descontínua e episódica”. Com o filho pequeno, ela parte para uma jornada em um retiro no interior profundo do Brasil. Lá, mora um homem que passa a prever o futuro depois de ter sobrevivido ao vírus ameaçador. Entre lembranças obliteradas, encontros e desencontros e vidas até então previsíveis modificadas radicalmente, um rastro de perplexidade e de perguntas sem respostas vai sendo deixado para trás. Trata-se de mais uma narrativa instigante e inteligente, que une a excelência da prosa a ideias bem articuladas do autor de livros já célebres como Nove noites e Mongólia.  

O último gozo do mundo
Bernardo Carvalho
Companhia das Letras
144 págs.

Vestígios
Ana Maria Machado

Ana Maria Machado há décadas trafega com desenvoltura pelos mais diversos tipos de textos literários. Referência entre autores infantojuvenis, ela tem uma obra sólida também na literatura adulta. Em Vestígios, ela volta aos contos, gênero em que há muito não publicava um livro. São onze histórias que expressam uma visão íntima e profunda da existência. Alguns dos contos começaram a ser elaborados por Ana há muitos anos. Independentes entre si mas conectados pelos fios das relações familiares, eles versam sobre as nossas escolhas e memórias afetivas e sobre a passagem do tempo.

Vestígios
Ana Maria Machado
Alfaguara
112 págs.

Poetas negras brasileiras
Jarid Arraes (Organizadora)

Organizada pela cearense Jarid Arraes, a antologia Poetas negras brasileiras reúne mais de 70 autoras, com idades ente 18 e 70 anos, de diferentes regiões brasileiras. O livro começou a nascer ainda em 2019, quando Jarid abriu uma chamada pública para que escritoras negras brasileiras enviassem contos e poemas para fazerem parte de uma antologia. “Não esperava, no entanto, receber apenas dois contos entre centenas de poemas”, diz sobre a predominância dos versos. “A mudança de abordagem foi feita com alegria e todas as mulheres negras que enviaram seus poemas dentro do prazo foram selecionadas”, explica a cordelista, autora do premiado Redemoinho em dia quente (2019), vencedor dos prêmios APCA e Biblioteca Nacional.

Poetas negras brasileiras — Uma antologia
Org.: Jarid Arraes
Editora de Cultura
128 págs.

Discurso sobre a metástase
André Sant’Anna

André Sant’Anna surgiu na literatura brasileira — e ficou conhecido — pela inventividade de sua escrita, que embaralha e confunde gêneros. Após seis anos sem publicar, ele ressurge com outro livro de difícil classificação. Em Discurso sobre a metástase o escritor retrata o momento atual com sua verve peculiar, em que a “metástase que está no título tem seu idioma próprio, e esse idioma pode ser voltado contra ela mesma”. Em mais um livro para atiçar os sentidos de quem gosta de uma prosa que bagunce as regras da literatura, Sant’Anna faz o leitor reviver o prazer de livros idiossincráticos como Amor e O paraíso é bem bacana.

Discurso sobre a metástase
André Sant’Anna
Todavia
216 págs.

O mundo desdobrável: ensaios para depois do fim
Carola Saavedra

Autora de vários romances, Carola Saavedra estreou recentemente na literatura de não ficção com O mundo desdobrável: ensaios para depois do fim. O livro integra a coleção Nos.Otras, da editora Relicário, dedicada a obras de autoras latino-americanas. Atenta aos movimentos mais urgentes do cotidiano, Carola desenvolve análises sobre temas diversos, como a psicanálise, a escrita de mulheres e indígenas, ancestralidade e fim do mundo, entre outros assuntos instigantes. Há espaço também para reflexões sobre as artes, em que a autora comenta a trajetória artística de Carolina Maria de Jesus, Hilda Hilst e Clarice Lispector.

O mundo desdobrável: ensaios para depois do fim
Carola Saavedra
Relicário
216 págs.

84: O álbum inglês
Fabio Massari

Fabio Massari marcou época quando apresentou alguns dos programas mais bacanas da MTV brasileira, entre os anos 1990 e 2000. Chamado de Reverendo por seu conhecimento musical enciclopédico, há alguns anos ele começou a colocar no papel boa parte de seu repertório crítico. No seu sexto livro, o jornalista faz uma viagem aos seus anos de formação. Mais precisamente, a um ano que foi fundamental nos rumos da sua carreira profissional: 1984. Misturando memórias, memorabilia, resenhas de shows e muita pesquisa, 84: O álbum inglês revisita os acervos do Reverendo, compartilhando com os leitores a lista incrível de shows que ele encarou durante sua temporada inglesa de oito meses.

84: O álbum inglês
Fabio Massari
Terreno Estranho
176 págs.