Sarah Pearse estreia no romance sendo comparada a Stephen King

Um romance de estreia comparado ao trabalho de nomes como Stephen King e Agatha Christie enche os olhos de todo fã de suspense policial. É o caso O sanatório, da britânica Sarah Pearse, que ainda foi escolhido pelo clube do livro de Reese Witherspoon, o que costuma garantir o sucesso de vendas de uma obra, e está traduzido em mais de dez idiomas.

Lugares ermos e sinistros sempre chamaram a atenção da autora. Aos 20 anos, quando foi viver na Suíça, encontrou nas cidades de Crans-Montana o clima perfeito para começar a escrever seu primeiro romance. Segundo a Vanity Fair, o livro “tem um apelo cinematográfico assustador” e “inclui pitadas de O iluminado”, clássico de King.

O sanatório traz elementos típicos do suspense policial: desaparecimentos, investigações, passados perturbadores, uma protagonista marcante, reviravoltas e um ambiente sombrio a ser explorado — o sanatório que dá nome à obra. O local é transformado em hotel e abriga a detetive Elin, que chega na cidade para celebrar o noivado do irmão. Nem é preciso dizer que nada sairá como esperado.

Edição norueguesa de O sanatório. Foto: Reprodução/Instagram Sarah Pearse

Quem é Sarah Pearse

  • Estudou Inglês e Escrita Criativa na Universidade de Warwick
  • Tem pós-graduação em Jornalismo
  • Publicou contos em várias revistas antes de lançar um romance
  • Estreou na literatura com o suspense policial O sanatório
  • A obra é inspirada pelos anos em que a autora morou na Suíça
  • Vive no sul de Devon, na Inglaterra
  • Mantém um site oficial

Passado sombrio

Um hotel que antes era sanatório já seria sinistro o bastante. E se, além disso, ainda estivesse ocorrendo o que viria a ser considerada a pior nevasca dos últimos 30 anos? É nessas circunstâncias que a detetive Elin se encontra quando, na manhã seguinte à sua chegada nos Alpes Suíços, a noiva do irmão desaparece.

“Localizado em um ensolarado platô acima de Crans-Montana, no alto dos Alpes Suíços, o Le Sommet é uma criação do desenvolvedor imobiliário suíço Lucas Caron”, informa um comunicado à imprensa presente no livro, em uma manobra literária que faz lembrar Carrie, de Stephen King.

“Após oito anos de extenso planejamento e construção, um dos sanatórios mais antigos da cidade está pronto para reabrir como um hotel de luxo.”

É em meio ao luxo, então, que o pânico se instaura quando do sumiço da noiva. Para piorar, todas as saídas estão bloqueadas devido à tempestade e há ainda outro desaparecimento, o de uma pessoa que talvez pudesse tentar explicar melhor à detetive o que está acontecendo.

O que dizem de O sanatório

A narrativa afiada cria o suspense por meio de uma série de reviravoltas que deixarão o leitor arrepiado, culminando em um final imprevisível.
Sunday Press

O sanatório” tem um apelo cinematográfico assustador. Assim que se instaura o clima de suspense, desaparecimentos inexplicáveis começam a acontecer e dinâmicas familiares misteriosas vêm à tona. Inclui pitadas de “O iluminado” e promete agradar os fãs de suspense.
Vanity Fair

O sanatório” faz você olhar para trás o tempo todo. Esse thriller arrepiante tem de tudo: um cenário misterioso, uma narrativa incisiva e reviravoltas surpreendentes.
Richard Osman, autor de O clube do crime das quintas-feiras

Compre o livro na loja Bienal Rio

O sanatório
Sarah Pearse
Trad.: Marcelo Schild Arlin
Intrínseca
476 págs.