Programação

Confira a programação completa da Bienal 2021!

10 de dezembro - sexta

EU POSSO ESCREVER – O PERCURSO ENTRE O DESEJO DE CONTAR UMA HISTÓRIA E SUA PUBLICAÇÃO
Pavilhão Azul - Estação Plural 11h

EU POSSO ESCREVER – O PERCURSO ENTRE O DESEJO DE CONTAR UMA HISTÓRIA E SUA PUBLICAÇÃO

Convidados: ALINE BEI, STÊNIO GARDEL, CRISTIANE SOBRAL E BINHO CULTURA
Mediador: MARCELINO FREIRE

O contexto vivido durante a pandemia acentuou um desejo de muitas pessoas: escrever. São inúmeros os cursos que surgiram para trabalhar a escrita em oficinas literárias que procuram ajudar a desenvolver o(a) autor(a) que precisa nascer. Mais do que nunca, ir ao encontro da própria escrita e da descoberta da própria voz demonstrou ser um poderoso instrumento de elaboração e transformação – individual e social. E muitas vezes, de sobrevivência. Libertar as palavras para também se libertar através delas. É nesse efervescente contexto que situaremos nossa conversa reunindo autores que trilharam diferentes percursos na construção de suas primeiras histórias. Tudo isso ao redor de uma pergunta que se converte em afirmação de possibilidade: eu posso escrever.

ANCESTRALIDADE E MEMÓRIA NAS LETRAS PRESENTES
Pavilhão Azul - Estação Plural 13h

ANCESTRALIDADE E MEMÓRIA NAS LETRAS PRESENTES

Convidados: LEDA MARIA MARTINS, GRACIELA GUARANI (ON-LINE), FABIANA COZZA E NEI LOPES
Mediadora: ELIANA ALVES CRUZ

As pegadas ancestrais nas letras nacionais. As memórias individuais e coletivas, conscientes e inconscientes na literatura brasileira. O trabalho de preservação e resgate de histórias, culturas e referências por intermédio da escrita.

DE REPENTE, UMA CRIANÇA NA MINHA VIDA
Pavilhão Azul - Estação Plural 15h

DE REPENTE, UMA CRIANÇA NA MINHA VIDA

Convidados: CHRISTIAN FIGUEIREDO, TATI BERNARDI E LEO AVERSA
Mediadora: MAÍRA OLIVEIRA

Os autores Tati Bernardi, Leo Aversa e Christian Figueiredo, também youtuber, trazem para esta mesa relatos reais, bem-humorados e por vezes desesperados de suas experiências de maternidade e paternidade. A chegada de uma criança transforma como esses autores e cronistas da atualidade veem o mundo. A mediação é da escritora e dramaturga Maíra Oliveira, roteirista do filme Papai é Pop.

POESIA PARA RE(EXISTIR)
Pavilhão Azul - Estação Plural 17h

POESIA PARA RE(EXISTIR)

CONVIDADOS: LUCIENE NASCIMENTO, JARID ARRAES, MICHEL MELAMED, TOM GRITO E AKAPOETA
MEDIADORA: GABRIELA GOMES

Nestes tempos permeados por inúmeras incertezas, a poesia é a afirmação de nossa existência e os poetas, independentemente de suas origens e trajetórias, acionam a poesia para re (existir) as adversidades sociais, políticas e também afetivas que todos os dias batem às nossas portas. Nesta mesa, os poetas Akapoeta, Luciene Nascimento, Michel Melamed, Jarid Arraes e Tom Grito falam sobre suas escritas recentes e como elas tentam traduzir a forma como sentem e vivem a atualidade. A mediação é de Gabriela Gomes.

FUTUROS IMAGINADOS
Pavilhão Azul - Estação Plural 19h

FUTUROS IMAGINADOS

Convidados: LÁZARO RAMOS, ALE SANTOS, AZA NJERI E ELISIO LOPES JR.
Mediador: MARTON OLYMPIO

Como visões diversas de mundo podem pensar os tempos vindouros e contribuir de alguma forma para transformá-los. Distopias e utopias pensadas por artistas da literatura e do audiovisual que têm no futuro matéria-prima de suas obras.

Retirada de senhas para a Estação Plural:

As senhas de acesso para a Estação Plural serão distribuídas 1h antes do início de cada painel da programação oficial. Os interessados devem ir até a Central de Distribuição de Senhas, em frente à Praça Central, para garantir o seu lugar. Após o encerramento, os autores confirmados para autógrafos atenderão até 50 pessoas que estiverem com a pulseira diferenciada pelo “pin” na cor de cada autor.

Retirada de senhas para a Praça de Autógrafos:

As senhas para autógrafos serão distribuídas 1h antes do início de cada painel da programação oficial, junto com a pulseira da sessão, na Central de Distribuição de Senhas, em frente à Praça Central. As filas, na Praça de Autógrafos, estarão identificadas com a cor do pin de cada autor.

Observações:

  • A distribuição de senhas é limitada a uma (1) por pessoa, respeitando a capacidade do espaço;
  • O autógrafo é limitado a um (1) por pessoa portadora da pulseira com direito a autógrafo;
  • Só terá direito ao autógrafo quem estiver com um livro físico ou digital do autor;
  • A senha é válida somente para o mesmo dia de retirada;
  • As senhas dos painéis não garantem acesso à nenhuma sessão de autógrafos, apenas as identificadas com o “pin”;
  • Não tem tolerância de entrada nos painéis. Quem tiver pulseira tem acesso ao espaço até o encerramento da mesa.

*A programação cultural da Bienal está sujeita a alterações sem aviso prévio.