O que vai rolar nos primeiros dias da Bienal do Rio 2021

A mesa de abertura da Bienal do Rio, que começa nesta sexta-feira (3), às 9h, e segue até o próximo domingo (12), dá o tom de como o festival será nesta histórica 20ª edição. Isso porque o encontro chamado “Para seguir em frente” está totalmente em sintonia com o sentimento geral dos brasileiros após um período muito difícil.

A mesa de abertura reúne Allan Dias Castro, Bráulio Bessa e Priscilla Alcantara, que falam sobre como a inspiração, fé, poesia, amor e resiliência podem ajudar a superar os momentos de crise. E os primeiros dias da Bienal seguirão assim, com os livros e os escritores sendo porta-vozes de assuntos urgentes, mas também de temas leves, engraçados e que entretém.

E já que a festa está começando, preparamos um breve resumo do que vai acontecer nos primeiros dias do maior festival de cultura do país.

Thalita Rebouças participa da mesa “Em todas as mídias”.

Cinco encontros para refletir e se divertir

Para seguir em frente (dia 3, às 17h)
Allan Dias Castro, Bráulio Bessa e Priscilla Alcantara e Pedro Alvarenga (mediador)

Em todas as mídias (dia 4, às 15h)
Thalita Rebouças, Vitor Kley, Paula Pimenta (online) e Leticia Pires (mediadora)

Jornalismo e democracia sob ataque  (dia 5, às 11h)
Míriam Leitão, Patrícia Campos Mello (online), Cecília Olliveira e Paula Cesarino Costa (mediadora)

O mestre do mangá (dia 6, às 10h)
Junji Ito (online), Miriam Castro e Kika Hamaqui (mediadoras)

O desenvolvimento de histórias de romance em livros de fantasia (dia 7, às 11h)
V.E. Schwab (online) e Gui Domingues (mediação)

Bráulio Bessa participa da mesa “Para seguir em frente”.

Em sintonia com o Brasil

Temas urgentes da sociedade brasileira serão discutidos por gente que faz a diferença e que, em suas criações, mete o dedo na ferida. Na esteira da rica tradição da literatura urbana do país, Raphael Montes, autor de romances policiais de sucesso, e o jornalista Ivan Mizanzuk, autor do podcast que virou a série de TV “O caso Evandro”, conversam sobre ficção e realidade no crime.

Tema correlato surge na mesa “As desigualdades e as elites no Brasil”, em que o sociólogo Jessé Souza, o jornalista Muniz Sodré e a fundadora do Instituto Identidades do Brasil, colunista e apresentadora Luana Génot debatem os rumos da desigualdade em um cenário pré-eleitoral e ainda afetado pela pandemia. Os três estão lançando livros que dialogam com o assunto e, logicamente, também falam sobre esses trabalhos.

Outro encontro que deve render muito debate, reúne duas das mais prestigiadas jornalistas do país. Míriam Leitão e Patrícia Campo Mello falam sobre um assunto muito atual e do qual as duas entendem muito: “Jornalismo e democracia sob ataque”.

Um tema que está nosso dia a dia e se torna ainda mais relevante após o Prêmio Nobel reconhecer, neste ano, a atuação crucial de dois repórteres na defesa da paz.

Míriam e Patrícia também falam de seus mais recentes livros, respectivamente: A democracia na armadilha: crônicas do desgoverno e A máquina do ódio: Notas de uma repórter sobre fake news e violência digital.

Míriam Leitão participa da mesa “Jornalismo e democracia sob ataque”.

Entretenimento

Mas claro que no inesgotável universo dos livros, também há espaço para a fantasia e a fabulação mais deslocadas do realismo. Romances de Tormenta e Fantasia se tornaram ainda mais populares durante a pandemia entre os leitores no Brasil e no mundo. Se por um lado, proporcionam escapismo, por outro, são narrativas que oferecem uma reflexão sobre a atualidade através da conexão de universos metafóricos.

Sob o tema “Fantasia e Tormenta”, os autores Karen Soarelle, Raphael Draccon e Leonel Caldela conversam sobre a globalização de livros e autores e as adaptações dessas obras para outros formatos de entretenimento que potencializam as linguagens e narrativas dessas obras.

Assunto que se liga diretamente com o encontro “Em Todas as Mídias”, que como o nome sugere, vai falar de adaptações e dos pontos de contato de diferentes formas artísticas.

Lulu Santos participa da mesa “Lulu traço e verso: 40 anos de carreira”.

Nesse super encontro, as consagradas autoras do universo pop juvenil Thalita Rebouças e Paula Pimenta, cujas obras foram adaptadas para as mais variadas telas, conversam com Vitor Kley, músico de sucesso e autor estreante do livro infantil A turma do menino Sol.

Ainda no universo pop, as autoras americanas Julia Quinn e Beverly Jenkins conversam com as brasileiras Babi A. Sette e Paola Aleksandra sobre os desafios de modernizar o Romance de Época, considerando as conquistas das lutas identitárias da atualidade.

Fechando com Lulu

Para fechar as dicas dos primeiros dias de Bienal, o maior hitmaker do Brasil, Lulu Santos, conversa com o público sobre seu livro Lulu em traço & verso, que reúne letras e cifras, músicas de grande sucesso de sua carreira ilustradas pelo artista gráfico Daniel Kondo.

E isso é apenas um aperitivo. Há muito mais por vir. Confira aqui a programação completa, com horários e outros detalhes. E acesse diariamente o Hub Bienal 360º para saber tudo que está rolando na Bienal do Livro.