O horripilante trabalho do mangaká Junji Ito, mestre do terror japonês

O mangaká Junji Ito é autor de títulos como Uzumaki, Tomie e Fragmentos do horror — todos traduzidos para o público brasileiro. Agora, com a participação virtual do autor confirmada na Bienal do Livro Rio 2021 (dia 6 de dezembro, às 10h, na Estação Plural), é uma boa oportunidade para visitar alguns dos principais trabalhos de Ito, considerado o mestre dos quadrinhos de terror japonês. Confira aqui toda programação do evento, que neste ano acontece em formato híbrido.

Antes de se dedicar aos mangás de horror, Junji Ito trabalhou como técnico de próteses dentárias. Apesar da diferença gritante entre as duas profissões, ele já ganhou bastante atenção com seu primeiro trabalho artístico, Tomie, que começou a ser publicado no Japão em 1987 e venceu o Prêmio Kazuo Umezu.

Na continuidade de sua trajetória como mangaká, Ito acumulou sucessos. Seus trabalhos estão adaptados para diferentes formatos, como filmes e jogos de videogame. A novidade mais recente é a transposição do mangá Uzumaki para o formato de anime. O teaser da adaptação, que será transmitida pela Adult Swin, já está disponível.

Junji Ito, mestre dos mangás de terror. Foto: Junji Ito Collection Brasil

Conheça Junji Ito

  • Nasceu em Gifu, no Japão, em 1963
  • Trabalhou como técnico de próteses dentárias antes de se dedicar aos mangás
  • Iniciou a carreira de mangaká com a série Tomie, de 1987
  • Uzumaki, publicada a partir de 1998, é outra de suas séries de sucesso
  • Tomie virou uma série de filmes, lançada a partir de 1998
  • Uzumaki também foi adaptado para o cinema, em 2000, com direção de Higuchinsky
  • Ganhou o Prêmio Eisner 2019 pela adaptação em mangá que fez do romance Frankenstein
  • Os mangakás Kazuo Umezu e Hideshi Hino são duas de suas inspirações

Tomie, a estreia de Junji Ito

No primeiro trabalho de Junji Ito, lançado no Brasil em dois volumes, a misteriosa personagem que dá nome à obra faz um grande estrago por onde passa. Com um olhar penetrante, tendo uma pinta embaixo do olho esquerdo, Tomie Kawakami transforma homens em assassinos.

Para piorar tudo, a própria Tomie não pode ser morta. Muitos já tentaram, e ela sempre volta — mais perigosa e sedutora do que nunca. Como se a situação já não fosse bizarra o bastante, como explicar que a própria personagem é, na verdade, vítima desse instinto sangrento que ela desperta nos outros?

Lançado no Japão entre 1987 e 2000, Tomie virou uma série de nove filmes e tem uma legião de fãs ao redor do mundo. No Brasil, as duas edições da Pipoca e Nanquim somam mais de 700 páginas e trazem ilustrações de capa das edições japonesas da The Junji Ito Collection Masterpiece.

Detalhe da capa do primeiro volume de Tomie.

Uzumaki

Um dos principais trabalhos de Junji Ito está disponível para o público brasileiro em edição única de mais de 650 páginas, lançada pela Devir. Publicado originalmente entre 1998 e 1999, na revista semanal Big Comic Spirits, Uzumaki é um bom exemplo de como a mente de Ito consegue ir longe para despertar o medo do leitor.

Na história, adaptada para o cinema em 2000 (com direção de Higuchinsky), a pequena cidade de Kurôzu-cho é assolada por uma espécie de maldição. Os habitantes do local, obcecados por objetos com a forma de espiral, estão morrendo misteriosamente. Como costuma acontecer neste tipo de narrativa, dois “sortudos” vão tentar desvendar o mistério.

A princípio, Kirie Goshima e Shuichi Saito tentam fugir do cenário caótico — sem sucesso. Quando se veem obrigados a regressar, os personagens acabam “matando a charada”, descobrindo qual é o centro dessa espiral de loucura que se apossou de Kurôzu-cho.

Fragmentos do horror

Uma boa porta de entrada para os trabalhos de Junji Ito é a coleção de histórias curtas Fragmentos do horror, publicada pela DarkSide. No conjunto, nove narrativas breves demonstram toda escatologia e surrealismo próprios da mente criativa de Ito.

Mortos que não conseguem descansar, uma mansão velha que orbita seus habitantes e uma turma de dissecção são algumas das situações e personagens que compõem o conjunto, marcado por momentos que vão do horror à comicidade.

De acordo com a editora, Fragmentos do horror é daqueles trabalhos que o leitor suspira aliviado ao se dar conta de que não passa de ficção. Não é à toa que, segundo Guillermo del Toro, “Junji Ito é o mestre indiscutível do horror no Japão”.

Compre os mangás na loja Bienal Rio

Tomie — Vol. 1
Junji Ito
Trad.: Drik Sada
Pipoca e Nanquim
376 págs.

Tomie — Vol. 2
Junji Ito
Trad.: Drik Sada
Pipoca e Nanquim
376 págs.

Uzumaki
Junji Ito
Trad.: Arnaldo Oka
Devir
656 págs.

Fragmentos do horror
Junji Ito
Trad.: Akemi Ono
DarkSide
224 págs.