Momentos decisivos do Universo Cinematográfico Marvel

As 25 produções do Universo Cinematográfico Marvel (UCM) criadas até agora, entre filmes e séries, fazem dessa construção ficcional uma das empreitadas mais ousadas, longas e complexas do século 21. Nem todo mundo começou a acompanhar essa jornada desde 2008, quando ela se iniciou com Homem de Ferro, então a nova iniciativa da Disney+ vem bem a calhar: os 12 episódios de “Lendas da Marvel” revisitam alguns dos acontecimentos mais importantes desse mundo em expansão, com trechos essenciais para que mesmo aqueles que não estão totalmente por dentro da narrativa possam pegar o fio da meada.

Na nova série, o espectador nostálgico — ou mesmo o de primeira viagem — pode rever, ou passar a saber, como Zemo foi um dos principais motivadores da Guerra Civil, um dos pontos de virada mais significativos do UCM, ou revisitar o trágico momento em que Loki se bate com Thanos, em uma cena crucial para o desenrolar da guerra entre os Vingadores e o Titã Louco — que não acaba nada bem.

Além dos episódios já citados, há outros que reforçam o entendimento de algumas das produções mais recentes da Marvel, que sempre se complementam, como o que trata da personagem Wanda Maximoff ou o que revisita o triste fim de Visão, uma das muitas vítimas de Thanos. Os episódios disponíveis até agora, lembrando que um novo vai ao ar no dia 1º de setembro, são:

  • Wanda Maximoff
  • Visão
  • Falcão
  • O soldado invernal
  • Zemo
  • Sharon Carter
  • Loki
  • O Tesseract
  • Viúva Negra
  • Peggy Carter
  • A iniciativa Vingadores
  • Os Saqueadores
Thanos é um dos vilões mais sinistros de todo o Universo Cinematográfico Marvel.

Episódios marcantes

Há vários episódios de “Lendas da Marvel” que tratam de personagens específicos, mas outros têm foco em situações que têm importância decisiva nos rumos da narrativa Marvel.

Para dar um vislumbre dessa grande construção, a Bienal 360º escolheu explicar três causos incontornáveis para os super-heróis que compõem esse enorme mundo ficcional.

A iniciativa Vingadores

Quando Tony Stark (Robert Downey Jr.) criou a armadura que o transformaria em Homem de Ferro, lá no filme que deu o pontapé inicial no UCM em 2008, ele ainda não tinha ideia de que estaria para se envolver em um acontecimento do qual “todos os mundos” ficariam sabendo, conforme diz Nick Fury (Samuel L. Jackson), criador da S.H.I.E.L.D (uma organização essencial para a narrativa Marvel) e responsável por reunir os super-heróis em um grupo coeso: Os Vingadores. Os que têm mais destaque, inicialmente, são:

  • Capitão América
  • Homem de Ferro
  • Thor
  • Hulk

De lá para cá, por meio de uma narrativa que parece tentar demonstrar que com grandes poderes vêm grandes responsabilidade, lembrando aqui o conselho que Tio Ben dá ao Homem-Aranha do Tobey Maguire, todos os super-heróis acabam — gradualmente — envolvidos profissionalmente com uma missão ousada: garantir a paz da Terra, com a chancela do governo. O que não deixa de ser, de certa forma, uma forma inteligente de o UCM mostrar que, querendo ou não, os poderosos acabam se apossando de, ou tentando controlar, tudo que tem valor.

Loki com o Tesseract, um dos objetos mais poderosos do planeta.

Zemo

O personagem Helmut Zemo, um membro da inteligência de Sokovia, faz as vezes de arquiteto da Guerra Civil do UCM, quando Homem de Ferro e Capitão América se indispuseram um com o outro e acabaram, apoiados cada um por seus aliados, iniciando uma batalha interna entre Os Vingadores.

A motivação de Zemo foi um tipo de irresponsabilidades d’Os Vingadores. Em Sokovia, o grupo em missão acabou por causar uma tremenda destruição na cidade. Eles estavam lá para impedir que forças sombrias se instalassem na Terra, claro, mas há consequências depois de uma batalha tão violenta — uma delas foi a morte da família de Zemo, soterrada em escombros causados pela pancadaria dos super-heróis contra vilões.

Disso tudo, Zemo está disposto a ter vingança. Ele sabe bem que jamais seria capaz de enfrentar diretamente seres tão poderosos quanto o Capitão América ou o Homem de Ferro, então utiliza uma estratégia bem da perspicaz: faz com que os próprios Vingadores briguem uns com os outros. O resultado é catastrófico.

Tesseract

Esse objeto de nome estranho é tão poderoso que, quando se fala sobre ele, fatos e ficção se confundem. Dizem que seria a principal joia do tesouro de Odin — deus nórdico, pai de Thor. O que aconteceria se algo tão forte assim caísse em mãos erradas?

Este que é um dos causos mais relevantes do UCM, que culmina com a vitória de Thanos sobre Os Vingadores, apresenta ao espectador — ou leitor, tratando-se das histórias em quadrinhos — o arco mais trágico de toda narrativa.

Respondendo à pergunta acima, o que acontece é sangrento, triste, brutal. Vê-se, como consequência de alguém que não deveria ter acesso a um poder tão grande, algumas das mortes mais marcantes da narrativa Marvel.