“Marrom e Amarelo”, de Paulo Scott, concorre ao International Booker Prize 2022

O International Booker Prize, voltado para livros traduzidos em inglês e publicados no Reino Unido ou Irlanda, divulgou a lista dos 13 semifinalistas da edição 2022. O romance Marrom e Amarelo, do gaúcho Paulo Scott, compete pelo Brasil — em versão assinada por Daniel Hahn e lançada no exterior, no início deste ano, pela And Other Stories com o título Phenotypes.

O livro, publicado aqui pela Alfaguara, acompanha a vida dos irmãos Federico e Lourenço, filhos de pai negro. Eles crescem em um bairro suburbano de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e têm suas vidas marcadas por diferenças que parecem moldar a trajetória de ambos — e, principalmente, a maneira com a qual encaram o mundo.

A história é narrada por Federico, o mais claro da dupla, que é chamado para fazer parte de uma comissão governamental, em Brasília, responsável por tentar encontrar uma maneira supostamente mais adequada para preencher cotas raciais nas universidades. Isso quando o personagem já está com 49 anos, depois de ter enfrentado muita coisa. 

Paulo Scott, autor de Marrom e Amarelo. Foto: Renato Parada

Questões raciais

Os irmãos crescem às voltas com questões raciais, mas Federico é quem se torna um ativista ferrenho e vê o mundo de forma mais dura. Lourenço, por sua vez, teve uma trajetória mais amena — na visão do irmão. Ele sempre foi o considerado bonito, “muito gente boa” e ligado ao basquete. 

Durante sua empreitada em Brasília, então, Federico acaba tendo de se reencontrar com os demônios da memória, muitos deles ligados às relações amorosas que não deram certo e enfrentamentos raciais com os quais não lidou de forma mais enfática. E que ficaram, portanto, pulsando em sua memória.

Em meio aos problemas pessoais, o personagem ainda deve lidar com as tão conhecidas burocracias governamentais brasileiras, que sempre flertam com o absurdo, e debates tensos a respeito do colorismo — ele está, afinal, em uma comissão para decidir como julgar adequadamente a cor da pele (e questões que vêm a reboque) de uma pessoa que está concorrendo a uma vaga na universidade.

Recepção internacional

A indicação de Phenotypes — versão em inglês de Marrom e Amarelo — ao International Booker Prize 2022 rendeu boas avaliações da obra em veículos de prestígio, como o The New York Times e o The Guardian.

O texto publicado do Guardian, assinado por Lucy Popescu, festeja a caracterização do personagem Federico e a maneira como a prosa de Scott, apesar de não ser tão fácil assim de encarar devido às longas sentenças e aos fluxos de consciência, é recompensadora.

O International Booker Prize

A lista dos 13 semifinalistas da edição deste ano do prêmio, vencido em 2021 pelo francês David Diop, traz autores de quatro continentes — e a participação, mais uma vez, da polonesa Olga Tokarczuk, vencedora do Nobel de Literatura 2018.

Os outros nomes, além de Scott e Olga, são:

  • Fernanda Melchor
  • Mieko Kawakami
  • Sang Young Park
  • Norman Erikson Pasaribu
  • Claudia Piñeiro
  • Violaine Huisman
  • David Grossman
  • Jon Fosse
  • Jonas Eika
  • Geetanjali Shree
  • Bora Chung

Os seis finalistas serão anunciados no dia 7 de abril e os vencedores, autor e tradutor, em 26 de maio. Cada um recebe 25 mil euros.

Compre o livro na loja Bienal Rio

Marrom e Amarelo
Paulo Scott
Alfaguara
160 págs.