Histórias para entrar no clima das Olimpíadas

Nesta sexta-feira (23) acontece a abertura oficial dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Serão 33 esportes e 339 eventos de medalha realizados em 42 locais em todo o Japão.

Ao todo, serão quase 20 dias com uma grande cobertura da imprensa. Para entrar no clima do Jogos e se aprofundar em alguns esportes, escolhemos cinco livros que falam sobre modalidades que serão disputadas nos Jogos do Japão.

Mais do que falar sobre o esporte em si, os títulos sugeridos contam boas histórias sobre esportes como o beisebol, que, depois de um período fora dos jogos, volta a ser disputado. Ou o boxe, um dos esportes mais retratados em livros, de ficção e não ficção. Confira a lista.

Moneyball — O homem que mudou o jogo
Michael Lewis

Brad Pitt e Jonah Hill em cena da adaptação cinematográfica.

O beisebol volta aos Jogos Olímpicos nesta edição após um hiato de 13 anos. Um dos esportes mais  praticados no Japão, o beisebol já rendeu muitas boas histórias em livro. Um dos mais recentes é Moneyball — O homem que mudou o jogo. O livro mistura duas paixões americanas: dinheiro e beisebol. O autor Michael Lewis conta a história de Billy Beane, gerente geral do Oakland Athletics, um dos times de menor orçamento da liga dos Estados Unidos. Ele impôs uma gestão mais racional, uma nova perspectiva sobre o beisebol, e usou um alto conhecimento em matemática para determinar o modo de jogar e selecionar os atletas contratados pela equipe. Em 2011, Bennett Miller dirigiu a adaptação cinematográfica do livro, com Brad Pitt no elenco. Livro e filme são excelentes.

Moneyball — O homem que mudou o jogo
Michael Lewis
Trad.: Denise Bottmann
Intrínseca
336 págs.

O guia dos curiosos — Jogos olímpicos
Marcelo Duarte

Para quem curte almanaques que simplificam a vida, o livro do jornalista Marcelo Duarte é excelente. A obra traz curiosidades e fatos de todos os Jogos Olímpicos desde 1896 até os jogos de Pequim, em 2008. Da origem das Olimpíadas, passando pelas primeiras modalidades esportivas, os heróis olímpicos, tabelas com todos os resultados, as medalhas, os pódios, todos os polêmicos casos de doping, etc. São Histórias curiosas, engraçadas e emocionantes de heróis apaixonados pelo esporte. Com a leitura, dá pra ter uma boa base sobre os principais acontecimentos do evento, como as principais polêmicas e questões políticas que envolveram os Jogos.

O guia dos curiosos — Jogos olímpicos
Marcelo Duarte
Panda Books
336 págs.

Sem limites — A incansável busca pelo prazer de vencer
Alan Abrahams e Michael Phelps

Michael Phelps, o maior medalhista olímpico de todos os tempos.

O “Tubarão de Baltimore” Michael Phelps é o maior medalhista olímpico de todos os tempos, com 28 medalhas, 23 delas de ouro. O nadador participou de quatro edições dos Jogos, e é também o maior ganhador de medalhas em apenas uma edição: foram oito em Pequim (2008). Nesta autobiografia escrita com a ajuda de Alan Abrahams, Phelps revela como se tornou um fenômeno do esporte e de que forma superou os mais diversos desafios da carreira: de esgotamento físico até os desestímulos que recebeu de professores que diziam que ele nunca seria bem-sucedido.

Sem limites — A incansável busca pelo prazer de vencer
Alan Abrahams e Michael Phelps
Thomas Nelson
256 págs.

A luta
Norman Mailer 

Muhammad Ali nocauteia George Foreman no oitavo round.

O boxe certamente é um dos esportes que mais recebeu atenção de escritores, roteiristas e cineastas. São inúmeras as histórias que utilizaram o esporte como metáfora para superar os problemas da vida. Neste livro, estão dois pesos-pesados: o pugilista Muhammad Ali e o escritor Norman Mailer.  O polêmico jornalista americano narra a luta entre Ali e George Foreman no Zaire, em 1974, em que se decidiu o título mundial de boxe. O combate é permeado por significados: políticos, éticos e raciais. Mailer, que ganhou o prêmio Pulitzer em duas ocasiões, em 1969 e 1980, retrata com maestria a maior luta de boxe do século 20.

A luta
Norman Mailer
Trad.: Claudio Weber Abramo
Companhia de Bolso
232 págs.

Febre de bola
Nick Hornby

O Brasil é o atual campeão olímpico do futebol masculino. E não é preciso explicar nada a respeito da paixão que o brasileiro, e o mundo todo, tem pelo esporte. Neste livro, é um inglês que retrata o poder arrebatador dessa “febre de bola”. O romance, lançado na Inglaterra em 1992, foi o primeiro livro publicado pelo londrino Nick Hornby —  conhecido no Brasil como autor do romance Alta fidelidade, que inspirou o filme homônimo de Stephen Frears. Febre de bola retrata a própria vida de Hornby, dos 11 aos 35 anos, como torcedor fanático do Arsenal, um dos maiores times de Londres.

Febre de Bola
Nick Hornby
Trad.: Christian Schwartz
Companhia das Letras
352 págs.