Do Engenho Novo ao New York Times: a trajetória de Felipe Neto

Em 2019, durante a 19ª Bienal do Livro do Rio, o então prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, ordenou a proibição da venda do quadrinho Vingadores, a cruzada das crianças, que tinha um beijo gay entre personagens da trama.

Indignado, o youtuber Felipe Neto organizou uma ação relâmpago e em menos de 24h distribuiu gratuitamente 14 mil exemplares de livros com temática LGBTQIA+ — o que lhe custou cerca R$ 300 mil. Esse fato, narrado em detalhes no livro O influenciador, recém-lançado pela editora Máquina de Livros, mostra como Felipe se tornou uma voz política atuante nos últimos anos.

Escrito por Nelson Lima Neto, que apesar do sobrenome não tem parentesco com o personagem, o livro refaz a trajetória do youtuber mais conhecido do Brasil — da infância no subúrbio carioca ao estrelato.

Considerando-se muito novo para ter sua vida biografada, Felipe não participou do projeto. Todas as declarações do livro são de entrevistas pinçadas em meios de comunicação como TV e sites.

“A gente tinha a intenção de entrevistar o Felipe, mas quando informamos a ele sobre o projeto, ele educadamente recusou”, diz o autor do livro. “Mas não houve qualquer entrave para a realização do livro.”

À falta de declarações do próprio Felipe, o autor compensou com uma vasta pesquisa e entrevistas com pessoas que “estiveram próximas a ele [Felipe] em diferentes fases da sua vida”. Foram dez meses entre pesquisa, apuração e redação.

“Parte da vida do Felipe está registrada em sites, blogs, redes sociais e vídeos. Reconstruímos sua trajetória em ordem cronológica para quem ainda não conhece o Felipe poder entender melhor como ele começou e o que o trouxe até o momento atual”, explica Nelson.

Felipe Neto tem 70 milhões de seguidores nas redes sociais. Foto: Reprodução/Instagram

As origens

O influenciador segue uma ordem cronológica, começando com as origens humildes da família de Felipe, moradora do bairro Engenho Novo, na zona norte do Rio, local com o 45° IDH da cidade. Filho de uma pedagoga e um psicólogo, Felipe cresceu com a presença da mãe e da avó. Os pais se separaram quando ele tinha apenas três meses. Ele e o irmão mais novo, Luccas Neto, outro fenômeno da internet, tem pais diferentes. 

“O livro traz algumas novidades sobre a sua infância no Engenho Novo, o período no colégio e seu interesse pela internet antes mesmo de virar youtuber”, explica Nelson. 

“Não foram poucas as tentativas de Felipe viver da internet antes que a fama chegasse por meio do YouTube. Sua trajetória na grande rede alterna êxitos e derrapadas, em projetos que ficaram conhecidos entre os chamados heavy users, os usuários assíduos do meio digital”, diz um dos trechos do livro. 

É interessante observar a persistência de Felipe Neto em acreditar que poderia se tornar um empreendedor, muito jovem, em um terreno ainda incerto no começo de 2010, quando ele surgiu com seus óculos escuros disparando polêmicas em busca da fama no quadro do YouTube “Não faz sentido”.

Algumas curiosidades sobre Felipe Neto

  • É o youtuber mais influente do Brasil
  • Cresceu no Engenho Novo, subúrbio carioca
  • Ele e o irmão mais novo, Luccas Neto, não são filhos do mesmo pai
  • Tem 70 milhões de seguidores nas redes sociais
  • Foi eleito uma dos 100 personalidades mais influentes do mundo pela revista Time em 2020
  • No mesmo ano, gravou um vídeo para o jornal The York Times criticando o presidente Jair Bolsonaro 
  • Em 2020, um grupo de bolsonaristas tentou intimidar Felipe na porta do condomínio onde mora
Felipe Neto caracterizado como personagem do quadro “Não faz sentido”.

Rumo à fama

A partir daí a narrativa mostra a transformação do personagem ao longo da sua vida pública. Impulsionado por 70 milhões de seguidores, Felipe mostrou que amadureceu, defendeu bandeiras, comprou brigas e bateu de frente até com o presidente da República, Jair Bolsonaro.

“Fiquei admirado com a capacidade dele de se reinventar e de se transformar”, diz Nelson Lima Neto. “Comparado ao início do curso do Felipe na internet, ele demonstra ser hoje uma pessoa bem diferente. Amadureceu e soube se cercar das pessoas, absorvendo ensinamentos de quem está junto dele. Não se formar em um curso superior, por exemplo, não o impediu de realizar nada do que se propôs.”

A história de Felipe Neto se confunde com a explosão da internet no Brasil. Ele descobriu cedo a forma de produzir conteúdo para pessoas que não se identificavam mais com os meios tradicionais. Com senso de humor apurado e uma grande capacidade de falar para jovens conectados, Felipe conquistou fama, fortuna e recordes em série. Mas também colecionou processos e desafetos.

Por conta de sua postura progressista em relação a temas do momento, virou alvo dos bolsonaristas radicais. O livro resgata os bastidores dos ataques (digitais e reais) que Felipe sofreu, fato que o levou ao site do The New York Times com um vídeo-editorial contra o presidente, que repercutiu no mundo inteiro.

Futuro

A internet, assim como outras mídias, costuma ser um lugar instável em relação ao sucesso. Em 15 anos, Felipe Neto conseguiu tudo de melhor que o espaço virtual pode dar: é uma celebridade, um jovem rico e empreendedor de sucesso. Mas o que estará fazendo no futuro?

“Imagino o Felipe inovando e buscando novas formas de reinventar o seu produto, como ele já fez no passado”, diz o autor de O influenciador. “Também o vejo insistindo no debate político e social, independente da presença do bolsonarismo.”

Compre o livro na loja Bienal Rio

O influenciador
Nelson Lima Neto
Máquina de Livros
216 págs.