Do clássico ao contemporâneo: oito livros para presentear neste Natal

A 20ª edição da Bienal do Livro do Rio, que se encerrou no último dia 12, mostrou que o livro e a leitura são essenciais — e se tornaram mais vitais nesses tempos difíceis que vivemos. É sempre bom ganhar e dar livros, não importa a ocasião. Se for em uma data tão simbólica quanto o Natal, melhor ainda.  

Como a comemoração está chegando, a Bienal 360° fez uma seleção de livros para agradar os mais diversos paladares literários. Dos clássicos de Hermann Hesse ao young adult de Juan Jullian, passando ainda pelo assombroso thriller Caixa de pássaros, há oito boas pedidas para presentear ou ser presenteado.  

Box Hermann Hesse

Um dos autores mais célebres do século 20, o alemão Hermann Hesse ganha uma retrospectiva com este box que traz três de seus livros mais aclamados: O lobo do estepe, Demian e Sidarta. Em novo formato, capa dura e pintura trilateral, o box conta ainda com um livreto escrito pelo tradutor Marcelo Backes. Demian é o primeiro grande livro de Hesse no caminho que o conduz a O lobo da estepe, considerado pela crítica sua obra-prima, e do qual Sidarta constitui a etapa intermediária. Prêmio Nobel de Literatura em 1946, Hesse foi uma verdadeira “febre” nos anos 1960 e 70, quando a geração hippie o elegeu como guru.

Box Hermann Hesse
Hernann Hesse
Trad: Marcelo Backes
Record
1008 págs.

Amor, sublime amor
Irving Shulman

Uma das histórias de amor mais prestigiadas da dramaturgia e do cinema norte-americano, Amor, sublime amor lança luz sobre questões tão atuais quanto a intolerância aos imigrantes e o preconceito. Nesta versão romanceada, Maria e Tony não conheciam o amor até a noite em que seus olhares se cruzaram no baile, onde os dois jovens dançaram inebriados por aquele sentimento novo e inigualável. Logo eles descobrem, porém, que fazem parte de duas realidades distintas e inconciliáveis. Sucesso tanto na Broadway quanto no cinema — na adaptação primorosa de Robert Wise —, o texto voltou aos holofotes por conta do remake dirigido por Steven Spielberg, em cartaz nos cinemas.

Amor, sublime amor
Irving Shulman
Trad.: Flávia Rössler
Intrínseca
163 págs.

Amoroso: Uma biografia de João Gilberto
Zuza Homem de Mello

Escrito pelo produtor e pesquisador musical Zuza Homem de Mello, Amoroso é a primeira biografia dedicada ao músico João Gilberto, baiano de Juazeiro que inventou a Bossa Nova. Personagem tão apaixonante quanto idiossincrático, Gilberto é retratado pelo prisma de sua arte. De Salvador a Tóquio, passando por Nova York, Rio de Janeiro e Cidade do México, Zuza leva o leitor a estúdios, teatros, bares, clubes e festivais por onde João circulou. O livro é uma oportunidade para conhecer a obra de dois criadores imprescindíveis do século 20 no Brasil: João e Zuza.

Amoroso: Uma biografia de João Gilberto
Zuza Homem de Mello
Companhia das Letras
344 págs.

Sapiens: Os pilares da civilização
Yuval Noah Harari

O fenômeno mundial Sapiens, que já vendeu mais de 18 milhões de exemplares, agora ganhou uma versão (em quatro volumes) no formato de histórias em quadrinhos. O segundo volume mostra como o Homo sapiens passou de nômade a colonizador, e como começou a trabalhar cada vez mais sem ter necessariamente uma vida melhor em troca. Harari revela coisas interessantíssimas, a exemplo de como o trigo dominou o mundo; como o matrimônio improvável entre uma divindade e um burocrata criou os primeiros impérios; e como a guerra, a fome, as doenças e a desigualdade tornaram-se parte da condição humana.

Sapiens: Os pilares da civilização
Yuval Noah Harari
Adaptação: David Vandermeulen
Ilustrações: Daniel Casanave
Trad.: Érico Assis
Quadrinhos na Cia.
256 págs.

Querido ex
Juan Jullian

Young adult nacional, Querido ex virou um fenômeno de vendas pelo chamado “boca a boca”. Juan Jullian narra a saga de um jovem cuja vida está sendo definida por um catastrófico acontecimento: seu ex-namorado virou, da noite para o dia, a maior celebridade do país. A única coisa pior e mais desastrosa do que levar um pé na bunda é levar um pé na bunda e ver seu ex se tornar a maior subcelebridade do Brasil. Não só isso, mas assistir em tempo real enquanto ele se apaixona por outro cara em TV nacional. Querido ex também traz questionamentos sobre os preconceitos sociais que jovens negros e gays estão sujeitos em nossa sociedade. Publicado originalmente de forma independente, o livro vendeu mais de 20 mil exemplares e ficou mais de 100 dias seguidos no 1° lugar dos mais vendidos na categoria LGBT da Amazon.

Querido ex
Juan Jullian
Galera Record
176 págs.

Caixa de pássaros
Josh Malerman

O americano Josh Malerman acertou na mosca logo com seu romance de estreia. Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. O livro tem sido elogiado por diversas publicações, do New York Times ao Guardian, por contar uma história completamente original. Cinco anos depois de um surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão. O livro ganhou uma bem-sucedida adaptação cinematográfica, com Sandra Bullock no elenco.

Caixa de pássaros
Josh Malerman
Trad.: Carolina Selvatici
Intrínseca
272 págs.

Prólogo, ato, epílogo
Fernanda Montenegro

Recém-eleita para a Academia Brasileira de Letras (ABL), a atriz Fernanda Montenegro narra suas memórias em Prólogo, ato, epílogo. Ela resgata a saga de seus antepassados lavradores portugueses, do lado paterno, e pastores sardos, do lado materno. Também relembra os desafios de criar os filhos sobrevivendo como artista, a busca permanente pela qualidade, a persistência combativa durante os anos de chumbo e a capacidade de constante reinvenção. O livro se revela uma ótima oportunidade para conhecer “por dentro” uma atriz que marcou o cinema e a TV brasileira como poucas e poucos o fizeram.

Prólogo, ato, epílogo
Fernanda Montenegro
Companhia das Letras
392 págs.

Quem tem medo do feminismo negro?
Djamila Ribeiro

Ao lado de Conceição Evaristo, Cidinha da Silva e Geni Guimarães, Djamila Ribeiro é uma das vozes mais importantes da literatura brasileira e também uma referência do movimento negro. Em  Quem tem medo do feminismo negro?,a autora  reúne um longo ensaio autobiográfico inédito e uma seleção de artigos publicados no blog da revista Carta Capital, entre 2014 e 2017. No texto de abertura, a filósofa e militante recupera memórias de seus anos de infância e adolescência para discutir o que chama de “silenciamento”, processo de apagamento da personalidade por que passou e que é um dos muitos resultados perniciosos da discriminação.

Quem tem medo do feminismo negro?
Djamila Ribeiro
Companhia das Letras
120 págs.