Diga-me o que recomendas (nas redes!), que eu vou ler também

De jovens para jovens. Assim foi a mesa da Estação Plural que reuniu um time de influenciadores bastante envolvido com a causa literária. Tiktokers e booktubers, Tiago Valente (otiagovalente), Wlange Keindé (Ficçomos) e Nanna Sanches (Livraneios) são fenômenos das redes sociais.

Para um público extremamente empolgado, eles contaram sobre os seus processos de escolha de livros, as diferenças de criação de conteúdo e de formato para as diferentes plataformas e como assimilam o fato de que suas indicações influenciam o gosto de muitos jovens – com impacto real no mercado literário. A mesa teve mediação da autora Frini Georgakopoulos e contou com festejada participação de Casey Mcquiston, autora do livro “Vermelho, branco e sangue azul”, um dos maiores sucessos literários da atualidade e que tem a sua trajetória entrelaçada por essa rede de influenciadores.

Todos os três autores começaram a ler desde cedo, mas Tiago tinha muitas caixas de livros pela casa:

“Meus pais tinham uma livraria. O estoque da loja era na minha sala, que vivia cheia de caixas. Eu era muito pequeno quando percebi que as histórias legais que a professora contava vinham dos livros. Mais tarde, o contato com os booktubers me mostrou que existem outras pessoas apaixonadas por livros como eu. Assim, eu resolvi compartilhar essa paixão também”, contou ele.

Wlange e Nanna se sentiram muito felizes quando descobriram os perfis de booktubers. Era quase como um clube do livro: a sensação de pertencimento àquele grupo de amantes de livros no Youtube despertou nas duas o desejo de produzir conteúdos e dividir suas resenhas literárias.

O TikTok ainda começava no Brasil, quando Tiago viu alguns amigos produzindo vídeos com efeitos interessantes e engraçados da plataforma, com a qual logo se identificou. Além de se divertir, Tiago sempre gostou de produção para o audiovisual. Assim, em 2018, ele fez um vídeo de 30 segundos com um resumo de “Dom Casmurro”, de Machado de Assis, e assim começou sua trajetória. Atualmente, Tiago tem mais de 300 mil seguidores na rede social chinesa.

Para Nanna, a opinião de seus seguidores é muito importante, mas ela deixa claro que não faz os vídeos para agradar ninguém.

“Eu nunca tive a pretensão de ficar famosa. Eu tentei uma época adequar meus vídeos ao que os meus leitores queriam. Mas aí eu lembrei o que me motivou a começar, que aquele é o meu cantinho, no qual falo sobre o que eu gosto. Quero que o conteúdo seja genuíno. Dou uma opinião 100% sincera, mas também tenho cuidado ao falar sobre temas sensíveis ou que podem gerar gatilhos emocionais.”, explicou Nanna.

Com foco nos escritores iniciantes, o canal de Wlange tem mais de 100 mil seguidores. Ela também pontuou a questão da responsabilidade sobre os conteúdos que produz: 

“Muita gente me manda mensagem dizendo que, graças ao meu site, publicou o primeiro livro. Antes eu não tinha noção da quantidade de pesquisa que um vídeo exige. Hoje eu faço mestrado em Literatura para poder oferecer um trabalho cada vez melhor”, comentou ela.

Cada rede social é muito específica em termos de formato, conteúdo e público. Os três autores concordam que o TikTok tem maior aderência entre pessoas mais novas, enquanto o Instagram e o Youtube são consumidos por internautas ‘mais velhos’. Deste modo, eles ressaltam que o tipo de conteúdo precisa respeitar essas especificidades.

Um dos vídeos de maior sucesso de Tiago é o que ele comenta sobre “Vermelho, Branco e Sangue Azul”, da americana Casey McQuiston, que retrata o romance entre o filho da presidente dos Estados Unidos e o príncipe da Inglaterra. Na mesma semana em que publicou seu vídeo, Tiago disse  ter recebido mensagens de seguidores dizendo que o livro já estava esgotado.

A partir daquele momento,  Casey participou da mesa de maneira remota. Ela estava muito grata pela repercussão do livro no Brasil e foi recebida com muitos aplausos pela plateia presente.

“Para escrever ‘Vermelho, Branco e Sangue Azul’, eu me inspirei na história da realeza, quando Harry e Meghan Markle estavam começando a namorar. E eu achei que seria incrível adaptar para uma relação queer. A repercussão do booktok é algo sensacional, é uma tendência que também impacta nas editoras, que precisam entender o que o público quer ler”, disse Casey.

Esta foi uma das mesas mais disputadas de toda a programação, que segue até domingo, dia 12. A programação oficial está disponível no site, mas ainda há ingressos online e na bilheteria física, no Riocentro!