Cinco séries de sucesso do streaming adaptadas de livros

Que o streaming veio para ficar ninguém duvida. Outra certeza é de que a literatura continua sendo essencial para gerar grandes produções do audiovisual. As séries, que caíram no gosto do público, também têm nas adaptações literárias um filão para novas produções.

Há hoje uma grande oferta de boas séries que vieram direto da literatura. Nós listamos cinco delas para você maratonar e fazer aquela inescapável comparação: qual é o melhor, livro ou série?  

O gambito da rainha (Netflix)

Para começar, essa série, baseada no livro homônimo do americano Walter Tevis, foi vista por 62 milhões de lares em todo o mundo, tornando-se a série limitada mais assistida da Netflix. Além disso, ganhou 11 prêmios Emmy.  Mas o que tanto atrai nela? Depois de perder a mãe, aos 8 anos de idade, Elizabeth Harmon é mandada para o orfanato. Calada e retraída, ela lida com a triste realidade tomando os tranquilizantes que a instituição fornece às crianças para mantê-las dóceis. Até que o carrancudo zelador do lugar começa a lhe dar aulas de xadrez, oferecendo a chance de que ela precisava para sair de seu estado de letargia. Depois que ela sai do orfanato, sua mãe adotiva a inscreve em sucessivos campeonatos nos Estados Unidos e Beth alcança uma projeção meteórica. As duas então começam a viajar por outros países em torneios cada vez mais espetaculares, em que o álcool e os tranquilizantes são um oponente tão poderoso quanto os maiores nomes do esporte que Beth precisa enfrentar. Mas, para o terror dos fãs, o diretor da série, Scott Frank, disse ser muito difícil haver uma segunda temporada, “para não estragar” a produção.

O gambito da rainha
Walter Tevis
Trad.: Ivanir Callado
Arqueiro
304 págs.

Watchmen (HBO GO)

Escrita por Alan Moore, Watchmen é um clássico que ultrapassou os limites das histórias em quadrinhos e é vista como uma obra literária comparável aos grandes romances do século 20. Os quadrinhos de Moore se notabilizaram por trazerem temas mais maduros, tratando de assuntos “sérios”, como economia e política externa — e é isso que temos na série. Em 2019, dez anos depois do longa-metragem baseado na HQ estrear, a HBO colocou no ar uma série em nove capítulos. Para quem curte os quadrinhos e o filme de Zack Snyder, a série vai agradar, mas é preciso ficar atento às referências. Ambientada após os eventos da HQ, a série se passa em uma realidade distópica, em um cenário com policiais, investigações e muita ação.

Watchmen
Alan Moore e Dave Gibbons
Trad.: Jotapê Martins, Helcio de Carvalho e Fábio Fernandes
Panini
216 págs.

A amiga genial (HBO)

Os fãs da versão para a TV de A amiga genial, baseada na tetralogia napolitana de Elena Ferrante, podem comemorar. A terceira temporada já está sendo gravada. Quem assume a direção, desta vez, é o cineasta, roteirista e autor italiano Daniele Luchetti, depois de duas temporadas sob o comando de Saverio Costanzo. Parceria entre a HBO e a emissora italiana RAI, a série conta a história de duas amigas, Lenu e Lila, moradoras de um bairro pobre de Nápoles, no sul da Itália, após a Segunda Guerra Mundial. A trama, que começa ainda na infância, se desenrola na adolescência e, agora, na terceira temporada, chega à vida adulta. Para quem acompanhou os fascinantes romances, a série complementa de forma brilhante a experiência no universo de Ferrante.

A amiga genial
Elena Ferrante
Trad.: Maurício Santana Dias
Biblioteca Azul
336 págs.

Chernobyl (HBO)

Um dos eventos mais terríveis da era moderna da humanidade, o acidente na usina nuclear em Tchernóbil, na Ucrânia, em 1986, é contado de forma magistral nesta série baseada no livro de Svetlana Aleksiévitch. Em Vozes de Tchernóbil, a ucraniana, vencedora do Nobel de Literatura em 2015, conta a história dessa tragédia por meio de diversos depoimentos de quem esteve envolvido com o acidente — são as vozes do título. Na série, tão importante como mostrar os desdobramentos do acidente, e as mortes que lentamente causava, foi deixar claro a postura dos governantes e gestores soviéticos (na época a Ucrânia fazia parte do bloco comunista) para tentar encobrir, da população e da imprensa mundial, a gravidade dos acontecimentos.  

Vozes de Tchernóbil
Svetlana Aleksiévitch
Trad.: Sonia Branco
Companhia das Letras
383 págs.

Normal people (Starzplay)

O segundo livro da irlandesa Sally Rooney foi um verdadeiro arrasa-quarteirão, vendeu milhares de exemplares e foi escolhido pelo The Guardian o 25° melhor livro do século 21, em uma lista com 100 obras. Desse jeito, não poderia parar em outro lugar que não uma série de streaming. A trama acompanha o terno, porém complicado, relacionamento de Marianne e Connell desde o final de seus dias de escola em uma pequena cidade da Irlanda, até seus anos de graduação na Trinity College. Marxista, Sally recheia a trama com discussões sobre a “luta de classes”, já que há uma grande diferença social entre Connell (pobre) e Marianne (rica). E isso é um elemento essencial na história, que arrebatou fãs no mundo todo.  

Pessoas normais
Sally Rooney
Trad.: Débora Landsberg
Companhia das Letras
264 págs.