Cinco episódios marcantes da série “Modern love”

A coluna semanal “Modern love”, do jornal The New York Times, circula desde outubro de 2004. Em 17 anos de publicação, há um sem-fim de relatos sobre relacionamentos amorosos, sentimentos, traições e revelações — as melhores narrativas, assinadas por diferentes pessoas, foram reunidas em livro. Para expandir ainda mais esse universo, algumas histórias também foram adaptadas para uma série homônima da Amazon.

As duas temporadas de “Modern love”, com 16 episódios ao todo, mostram as várias facetas do amor — um sentimento que, independentemente da idade, pode ser a melhor ou a pior coisa do mundo. A superprodução traz nomes como Anne Hathaway, Dev Patel, Andy Garcia e Tina Fey, em tramas que são independentes umas das outras, mas tratam, no final, da mesma coisa.

Para dar uma amostra da pluralidade da série, a Bienal 360º separou cinco episódios marcantes. “Essas histórias impressionam e ensinam”, diz Daniel Jones, editor da coluna que deu origem ao livro e à adaptação audiovisual. “Provocam risadas, tristezas e lágrimas. Às vezes (isso é verdade), não são nem muito modernas. Mas sempre forçam a concha da ostra do amor humano a se abrir, para revelar a beleza misteriosa que há lá dentro.”

Anne Hathaway “roubou a cena” com a personagem Lexi Donohoe.

Episódios de “Modern love”

1ª temporada

  • Quando o porteiro é seu melhor homem
  • Quando o cupido é uma jornalista curiosa
  • Me aceita como eu sou, quem quer que eu seja
  • Renovando para manter o jogo
  • No hospital, um interlúdio de clareza
  • Então ele parecia um pai, e era só um jantar, não é?
  • Um mundo só para ela
  • A corrida fica mais gostosa na volta final

2ª temporada

  • Em uma estrada sinuosa, com a capota aberta
  • A garota da noite encontra um cara do dia
  • Estranhos em um trem (de Dublin)
  • Um plano de vida para dois, seguido por um
  • Sou…? Talvez esse teste me diga
  • Na sala de espera de cônjuges separados
  • Como você se lembra de mim?
  • Tentando novamente, com corações e olhos abertos
Os atores Lucy Boynton e Kit Harington contracenam no episódio “Estranhos em um trem (de Dublin)”.

“Modern love” em detalhes

O episódio “Me aceita como eu sou, quem quer que eu seja”, protagonizado pela atriz Anne Hathaway, foi muito comentado nas redes sociais. A história acompanha Lexi Donohoe, uma advogada bem-sucedida que convive com a bipolaridade desde o ensino médio.

Apesar de ter uma vida aparentemente perfeita, com dinheiro, beleza e respeito de seus pares profissionais, a personagem sofre com profundas oscilações de humor, o que acaba fazendo com que ela falte regularmente no trabalho e não consiga estabelecer laços afetivos — o transtorno mental, descrito como “um monstro de filme em preto e branco”, sempre fala mais alto.

Outra história da primeira temporada, “No hospital, um interlúdio de clareza”, já é um pouco mais leve. Rob (John Gallagher Jr.) e Yasmine (Sofia Boutella) estão no segundo encontro. As coisas estão esquentando, no apartamento do homem, até que ele cai do sofá e corta o braço em um copo de Martini.

Na ambulância, a caminho do hospital, algumas informações começam a aparecer, como o fato de que o personagem toma ansiolítico e antidepressivos. Nessa jornada, na qual a mulher vê Rob fragilizado, eles acabam criando um forte laço de confiança.

Brandon Kyle Goodman e Andrew Scott contracenam no episódio “Um mundo só para ela”.

Outras histórias

O penúltimo episódio da primeira temporada, “Um mundo só para ela”, é um dos mais singelos. Um casal gay — formado por Tobin (Andrew Scott) e Andy (Brandon Kyle Goodman) — quer adotar uma criança. “Será uma aventura cheia de ação, decepção, risos, lágrimas e também repleta de burocracias”, diz o narrador.

Após muitas dores de cabeça, com pais que parecem não aceitar a adoção de seus filhos por um casal homossexual, eles se encontram com Karla (Olivia Cooke) — uma moça que acaba de engravidar e, tendo o mundo como sua casa, quer deixar o bebê para um casal que não leve uma vida tão agitada quanto a dela. A jornada toda é de muito aprendizado para todos.

O amor na adolescência, e as dúvidas que costumam acompanhar esse período, também são abordados na série. Em “Sou…? Talvez esse teste me diga”, da segunda temporada, Katie (Lulu Wilson) é uma estudante tentando entender sua própria sexualidade. Para isso, responde a testes virtuais do tipo “O quanto você é gay”. Mas é somente vivendo sua rotina escolar, que tem a presença de Alexa (Grace Edwards), que ela irá se descobrir de verdade.

Por último, um aceno ao clássico do cinema romântico “Before sunset” (2004), do diretor Richard Linklater. O episódio “Estranhos em um trem (de Dublin)”, ambientado durante a pandemia, mostra o encontro de Paula (Lucy Boynton) com Michael (Kit Harington).

Radicalmente diferentes — ela é uma estudante da Era Medieval e ele trabalha com algoritmos —, os personagens acabam criando grande conexão durante uma viagem de trem. Eles acabam indo para caminhos opostos, no entanto, e fica no ar a promessa de que irão se encontrar novamente no mesmo local em que se despediram.

Compre o livro na loja Bienal Rio

Modern love — Histórias reais de amor, perda e redenção
Org.: Daniel Jones
Trad.: Ana Rodrigues
Rocco
304 págs.