Capitão Cueca e Diário de um banana: fenômenos que não cansam os leitores

Fenômenos mundiais, As aventuras do Capitão Cueca, escrito por Dav Pilkey, e Diário de um banana, de Jeff Kinney, são duas das séries mais exitosas em números de leitores e vendas em atividade hoje. Direcionadas ao público infantojuvenil, elas têm mantido o interesse dos jovens leitores há pelo menos 15 anos.

Estima-se que Diário de um banana tenha vendido mais de 200 milhões de livros desde que foi lançado pela primeira vez, em abril de 2007. Já As aventuras do Capitão Cueca, que chegou ao Brasil em 2008 pela extinta Cosac Naify e hoje é publicado pela Companhia das Letras, está sempre nas listas de mais vendidos assim que uma nova obra é editada.     

Mas por que esses livros atraem tanto a atenção dos jovens leitores? A seguir, vamos tentar responder a essa e outras perguntas.

Jeff Kinney, autor de Diário de um banana.

Enredo

Diário de um banana: Gregory Heffey, o Greg, é um menino norte-americano. Ele quer muito ser popular na escola. Mas na verdade tem poucos amigos lá — um deles é Rowley Jefferson, que é muito presente na série de livros. Greg gosta de videogames e quadrinhos, mas também é muito zoado por ter um diário.

As aventuras do Capitão Cueca: Jorge e Haroldo são duas crianças que, no ensino fundamental, não se desgrudam. Em meio a um ambiente entediante, domesticador e cerceador, eles a todo momento pregam peças e fazem gracinhas, com o objetivo de deixar a vida escolar mais suportável. Logo são perseguidos pelo diretor da escola, o senhor Krupp. Contudo, um dia os dois pestinhas hipnotizam seu algoz, e então Krupp começa a crer que é o Capitão Cueca, um super-herói inventado pelas crianças, e que deve salvar o mundo.

Como surgiram

Dav Pilkey teve a ideia para o personagem quando uma professora disse a palavra “cueca” e os alunos caíram na risada. Ele teve a percepção de que as crianças, em geral, se divertem muito com palavras escatológicas (relacionadas ao que sai do corpo, como cocô e xixi), porque simples gostam de palavras que são “proibidas” pelos adultos.

Já o personagem principal de Diário de um banana, Greg, foi criado em janeiro de 1998 em um pequeno apartamento em Massachusetts. A princípio não havia quase nada sobre ele, era só um esboço num papel, que foi sendo desenvolvido por Jeff Kinney e se tornaria diferentes histórias ao longo dos anos, até que juntou todas as piadas num só caderno.

Dav Pilkey, autor de As aventuras do Capitão Cueca.

Como ler

Bem, se você é daqueles que gostam de seguir tudo rigorosamente como tem que ser, a melhor opção é mesmo ler na ordem as duas séries. Mas é possível, sim, ler os livros de forma aleatória, ainda que outros personagens surjam a cada livro. As aventuras do Capitão Cueca tem 12 volumes, além de “livros extras”, que não seguem a ordem da coleção. Diário de um banana é composto por 15 volumes, por enquanto.

Os primeiros títulos

No primeiro livro de As aventuras do Capitão Cueca,Jorge e Haroldo são vizinhos e estudam juntos na escola Jerome Horwitz. Eles adoram contar piadas e fazer estripulias por onde passam. Mas o que eles mais amam mesmo é escrever histórias em quadrinhos, e juntos inventaram o maior super-herói de todos os tempos: o incrível… Capitão Cueca.

O livro que abre a série Diário de um banana é sobre o primeiro ano de Greg e Rowley na escola preparatória.  No entanto, quando Rowley tem mais popularidade do que Greg, a amizade deles é abalada. Então Greg vai ter que tentar voltar a ser amigo de Rowley.

Cena do filme Diário de um banana (2010).

Principais personagens

Diário de um banana: Além de Greg, os principais  personagens são: Rowley Jefferson, o melhor amigo de Greg; Rodrick Heffley, irmão mais velho de Greg, que é um adolescente rebelde que gosta de atormentá-lo; Manny Heffley, irmão mais novo de Greg, superprotegido e mimado pelos pais; Frank Heffley, pai de Greg, Rodrick e Manny, odeia videogames, rock and roll e adolescentes; e Susan Heffley, mãe de Greg, sempre querendo o bem dos seus filhos, mesmo às vezes envergonhando-os na frente de todos. Susan gosta de todos os gêneros de música, inclusive o heavy metal de Rodrick.

Capitão Cueca: Além dos pestinhas Haroldo e Jorge, e do senhor Krupp, que se transforma no herói cuequento, há ainda outras figuras cativantes: o professor Fefê F. Fraldinha Suja, substituto do titular de Ciências, que pediu demissão; a senhora Ribble, professora mais temida da escola, uma supervilã disposta a dominar o mundo a qualquer custo. Melvin Sneedly, o gênio da escola, zoado por Haroldo e Jorge.

Adaptações

Em 2017 foi lançada a adaptação cinematográfica de As aventuras do Capitão Cueca, que teve direção do canadense David Soren. No filme, Jorge e Haroldo são amigos inseparáveis, tanto no colégio quanto na casa na árvore que mantêm juntos, onde se dedicam a escrever histórias em quadrinhos do Capitão Cueca. Ambos adoram se divertir na base de pegadinhas, especialmente em relação aos professores e ao rabugento diretor Krupp. Quando são ameaçados de serem separados de turma, Jorge usa um anel hipnótico contra o diretor.

Diário de um banana tem quatro adaptações para o cinema: Diário de um banana (2010), Diário de um banana: Rodrick é o cara (2011), Diário de um banana: Dias de cão (2012), e Diário de um banana 4. Está previsto um quinto filme, ainda sem data de estreia.

Compre os livros na loja Bienal Rio

As aventuras do Capitão Cueca
Dav Pilkey
Trad.: Clara Lacerda
Companhia das Letrinhas
144 págs.

Diário de um banana
Jeff Kinney
Trad.: Antonio de Macedo Soares
V&R
224 págs.