Autores independentes levam histórias inspiradoras para a Bienal do Livro Rio

Autores independentes também marcam presença na Bienal do Livro Rio. No Pavilhão Laranja, o público pode conhecer histórias inspiradoras e conversar diretamente com os escritores. Entre eles está a baiana Silvana Oliveira, autora do divertido “Faladas de Sofia”, uma coletânea de diálogos inspirados nas conversas que ela teve com a filha Sofia, durante seus primeiros oito anos de vida. O prefácio do livro é assinado por Mario Prata e as ilustrações pelo time da Miranda Estúdios. 

“É um livro divertido, com muitas tiradas engraçadas que toda mãe já teve que responder. ‘Faladas de Sofia’ é uma viagem à inocência da mente infantil e uma reflexão sobre a visão de mundo das crianças”, conta Silvana, que trouxe o marido e os dois filhos para divulgar seu trabalho. 

Outra história inspiradora é a de Fernando Gomes, de 28 anos. Fernando ficou cego aos 2 anos de idade, como consequência de um tumor na retina. E o que poderia ter sido um limitador tornou-se um estímulo para que ele tivesse grandes objetivos. Incentivado pela família a buscar autonomia desde cedo, Fernando cursou a faculdade de jornalismo e, durante o curso, teve uma experiência única para uma pessoa que tem o seu tipo de deficiência – ele embarcou sozinho para a Inglaterra para uma jornada de 6 meses de estudos. 

A jornada vivida em 2014, quando ele tinha 21 anos, mudou a sua vida e deu origem ao livro “Enxergando Além do Atlântico”, que conta em detalhes essa experiência. “Meu objetivo é mostrar que a deficiência não precisa ser um fator limitante. É preciso combater o capacitismo e a melhor forma de fazer isso é com representatividade”, diz Fernando.