25 livros para todos os tipos de mãe

Uma das datas mais aguardadas do ano se aproxima. No segundo domingo de maio, como reza a tradição, é celebrado no Brasil o Dia das Mães — e, com ele, surge uma dúvida: o que dar de presente para essa pessoa tão importante? O livro, esse objeto capaz de mudar vidas, é sempre uma boa pedida.

Para ajudar nessa tarefa nem sempre fácil, a Bienal 360º separou 25 dicas de obras para todos os gostos. Das artes ao empreendedorismo, passando pelas narrativas mais engajadas e chegando à culinária, a lista abaixo traz nomes como os da brasileira Martha Medeiros, da espanhola Rosa Montero e da norte-americana Carol S. Dweck.

Mães que amam literatura e romance

Min Jin Lee, autora do romance Pachinko.

Em um período tão difícil quanto o que enfrentamos há mais de um ano, no qual o distanciamento social se faz necessário, a literatura de ficção pode ser uma grande companhia. Com as histórias, afinal, é possível viajar sem sair do conforto de casa. Em A claridade lá fora, a gaúcha Martha Medeiros dá vida a Ligia, mulher de opiniões fortes e extensa trajetória intelectual, que vive tranquila ao lado do marido, o professor universitário Nuno, em um pequeno balneário afastado de tudo. Quando a parceria do casal é colocada à prova, a personagem precisa rever seus conceitos e a forma que se posiciona no mundo.

Já em A filha perdida, Elena Ferrante fala sobre assuntos que borbulham internamente e sobre os quais não se costuma falar e podem ser perigosas. Partindo de uma premissa existencialista, a misteriosa autora italiana narra a história da professora universitária Leda e a forma que ela encara seus próprios demônios a partir de uma viagem que tinha tudo para ser tranquila.

Confira todas as indicações

A claridade lá fora
Martha Medeiros
L&PM
256 págs.

A filha perdida
Elena Ferrante
Trad.: Marcello Lino
Intrínseca
176 págs.

O segredo da livraria de Paris
Lily Graham
Trad.: Elisa Nazarian
Gutenberg
208 págs.

Tudo é rio
Carla Madeira
Record
210 págs.

Pachinko
Min Jin Lee
Trad.: Marina Vargas
Intrínseca
528 págs.

Mães que curtem música e artes

A agitada vida da pintora Frida Kahlo chamou a atenção de María Hesse.

Pelo menos desde a Grécia Antiga, quando os poetas — acompanhados do som da lira — cantavam feitos heroicos, é sabido que as artes têm papel fundamental para unir a sociedade. No ambiente criativo e simbólico, seja na música ou em instalações artísticas contemporâneas, o ser humano encontra uma das maneiras mais poderosas de tentar ordenar o caos interior.

Em Roberto Carlos: por isso essa voz tamanha, o experiente jornalista Jotabê Medeiros encara o desafio de biografar um dos artistas mais populares do Brasil. A biografia tenta responder o que é real e o que é inventado na trajetória do Rei, além de desmitificar a lenda por trás do compositor.

Saindo do universo musical, O livro da arte une linguagem acessível e rigor científico para introduzir o grande público ao vasto mundo da arte: 200 peças são analisadas — das pinturas rupestres às instalações artísticas modernas. O livro faz parte da coleção As grandes ideias de todos os tempos, que já vendeu mais de 1,5 milhão de exemplares.

Confira todas as indicações

Roberto Carlos: por isso essa voz tamanha
Jotabê Medeiros
Todavia
512 págs.

O livro da arte
Trad.: Flávia Souto Maior
Globo Livros
352 págs.

Ninguém pode com Nara Leão: uma biografia
Tom Cardoso
Planeta
240 págs.

O caminho do artista
Julia Cameron
Trad.: Leila Couceiro
Sextante
272 págs.

Frida Kahlo: uma biografia
María Hesse
Trad.: Alexandre Boide
L&PM
152 págs.

Mães engajadas

Tati Bernardi, autora de Você nunca mais vai ficar sozinha.

Há quase uma década, desde 2012, o feminismo ganhou fôlego renovado por meio das redes sociais. Na chamada “quarta onda” do movimento, propostas e ensinamentos mais tradicionais se unem à visão moderna das mulheres — e são várias as obras voltadas para a disseminação dessa iniciativa que busca igualdade.

Um bom exemplo é Nós, mulheres, de Rosa Montero. Neste retrato abrangente de grandes figuras femininas de todos os tempos, a autora espanhola mostra que a mulher pode fazer o que ela quiser, nas mais diversas áreas, e ser muito bem-sucedida. É assim que nomes como o da artista Frida Kahlo e da escritora Agatha Christie dividem espaço com o de Mary Anning, por exemplo, pioneira na área da paleontologia.

Um dos nomes mais celebrados do movimento feminista contemporâneo, bell hooks escreve uma cartilha contra todas as formas de opressão em O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. Por seu papel nas lutas sociais, a autora foi eleita pela revista Atlantic Monthly uma das principais intelectuais norte-americanas.

Confira todas as indicações

Nós, mulheres
Rosa Montero
Trad.: Josely Vianna Baptista
Todavia
288 págs.

O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras
bell hooks
Trad.: Ana Luiza Libânio
Rosa dos Tempos
175 págs.

Mãe & eu & mamãe
Maya Angelou
Trad.: Ana Carolina Mesquita
Rosa dos Tempos
176 págs.

Você nunca mais vai ficar sozinha
Tati Bernardi
Companhia das Letras
144 págs.

Mulheres, mitos e deusas
Martha Robles
Goya
448 págs.

Mães empreendedoras

Glennon Doyle, autora de Indomável.

Para lidar da melhor forma possível com a pressão do ambiente de negócios, é preciso estar muito bem preparada interiormente. Lidar com a hostilidade do business pode não ser das tarefas mais fáceis, mas há obras que podem fornecer dicas valiosas para as mães — e todas as mulheres — que desejam se destacar no âmbito profissional.

Carol S. Dweck ajudou a popularizar o termo mindset com seu livro Mindset: A nova psicologia do sucesso. Professora de psicologia na Universidade Stanford, Carol levou décadas para chegar às reflexões que definem o que é e não é um estado interior produtivo.

Já em Indomável, Glennon Doyle mostra que a harmonia de uma família depende de todos, e não só da dedicação da mãe. Perceber os problemas previamente para contorná-los de maneira mais fácil é outra das lições presentes no livro.

Confira todas as indicações

Mindset: A nova psicologia do sucesso
Carol S. Dweck
Trad.: S. Duarte
Objetiva
312 págs.

Indomável
Glennon Doyle
Trad.: Giu Alonso
HarperCollins
320 págs.

Buda dançando numa boate
Paula Abreu
Buzz
192 págs.

O milagre da manhã
Hal Elrod
Trad.: Marcelo Schild
BestSeller
196 págs.

Comece pelo porquê: Como grandes líderes inspiram pessoas e equipes a agir
Simon Sinek
Trad.: Paulo Geiger
Sextante
256 págs.

Mães que amam cozinhar

A chef Rita Lobo, autora de Pitadas da Rita.

O gosto da comida preparada pela mãe é inconfundível, e essa lembrança afetiva acompanha a todos ao longo da vida. Para tornar essa experiência ainda mais marcante, só deixando que renomadas profissionais da área deem algumas dicas valiosas e receitas impagáveis — que podem, aliás, ser desfrutadas neste domingo comemorativo que se aproxima.

Um das dicas é o livro Todas as sextas, da carismática Paola Carosella, jurada do MasterChef Brasil que ganhou o país com sua atitude firme, mas generosa. Nesta obra de estreia, a cozinheira nascida na Argentina oferece ao leitor uma narrativa memorialística, além de 90 receitas dos menus executivos servidos às sextas-feiras em seu restaurante, o Arturito. Os pratos são acompanhados de comentários da própria autora.

Outra figura conhecida da TV, Rita Lobo mostra que a comida em si não é tudo na hora de fazer uma refeição especial. Em Pitadas da Rita, o ambiente, a disposição da mesa e a composição do prato também contam para que a experiência seja impecável. A criadora do Panelinha reuniu dicas e receitas saudáveis neste livro.

Confira todas as indicações

Todas as sextas
Paola Carosella
Melhoramentos
352 págs.

Pitadas da Rita
Rita Lobo
Senac São Paulo
314 págs.

A química dos bolos
Joyce Galvão
Companhia das Letras
288 págs.

O frango ensopado da minha mãe
Nina Horta
Companhia de Mesa
288 págs.

Minha mãe fazia: crônicas e receitas saborosas cheias de afeto
Ana Holanda
Rocco
240 págs.